Encontro da Paz em Salmos




Por Leônidas Almeida
Gosto do Salmo 51, um Salmo de rasgar o coração na presença de Deus, um Salmo que abre nossa consciência para necessidade de abrir tudo que somos diante de Deus sem omitir nada, um Salmo que não deve ser lido por aqueles que se consideram santos ou menos pecadores, ou que desejam manter sua reputação intocável diante de Deus, mas principalmente diante dos Homens, como geralmente fazem os políticos quando são pegos nos seus malfeitos.
O Salmista também não tenta esconder a profundidade e a gravidade do seu pecado, não faz mensurações, não faz comparações com os outros, o pecado é meu, e neste sentido devo me apresentar inteiro diante de Deus.
O salmista não tenta se auto justificar o motivo pelo qual pecou, não tenta passar a responsabilidade para terceiros, ele assume sua situação, “sou pecador”.
Finalmente o Salmista mostra toda sua honestidade diante de Deus, não fica se passando por uma identidade alheia, mentindo para si mesmo com intuito de dizer para Deus que “não sou tão mal assim”, até faço coisas boas: evangelizo, dou o Dízimo, oro pelos enfermos, ajudo os pobres, dou esmolas nas ruas, sempre vou aos cultos, e por isso Deus vai se bom e não vai levar em conta estes deslizes, pois afinal de contas sou humano e errar é humano, esta conversa de santificação é para os Santos, para os religiosos de carteirinha, não para mim. Então vamos ao Salmo.

Salmos 51 - NVI
Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões.
Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado.
Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue.
Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me.
Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.
Sei que desejas a verdade no íntimo; e no coração me ensinas a sabedoria.
Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei.
Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria; e os ossos que esmagaste exultarão.
Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniqüidades.
Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável.
Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu Santo Espírito.
Devolve-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito pronto a obedecer.
Então ensinarei os teus caminhos aos transgressores, para que os pecadores se voltem para ti.
Livra-me da culpa dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação! E a minha língua aclamará à tua justiça.
Ó Senhor, dá palavras aos meus lábios, e a minha boca anunciará o teu louvor.
Não te deleitas em sacrifícios nem te agradas em holocaustos, se não eu os traria.
Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.
Por tua boa vontade faze Sião prosperar; ergue os muros de Jerusalém.

Então te agradarás dos sacrifícios sinceros, das ofertas queimadas e dos holocaustos; e novilhos serão oferecidos sobre o teu altar.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A DINÂMICA DA FÉ

Os sinais da frustração e da neurose.

CUIDADO A INVEJA DESTROI RELAÇÕES