Muito além da aparência



          Quando teu coração estiver firmado em Cristo e tiveres te tornado inimigo dos pecados - por amor e não por medo do castigo-, então o sofrimento de Cristo também deverá constituir-se em exemplo para toda sua vida.

         Em Cristo se podem encontrar força e alívio contra todos os vícios e desvirtudes. É nisso que consiste a verdadeira meditação do sofrimento de Cristo. São esses os frutos do seu sofrimento. Quem nele se exercita procede melhor do que se ficasse ouvindo toda a pregação da paixão ou lesse todas as missas. Não que as missas não sejam boas; é que sem essa meditação e sem esse exercício elas nada adiantariam.

         Cristãos autênticos são os que trazem a vida e o nome de Cristo para dentro de sua vida. Pois o sofrimento de Cristo não deve ser tratado com palavras e aparências, mas com a vida e com veracidade. Porém, essa contemplação caiu em desuso e tornou-se rara. Nós transformamos a essência numa aparência e pintamos a meditação do sofrimento de Cristo apenas nas folhas e nas paredes.

Martim Lutero. 

Comentário:

         Discípulos e discípulas de Cristo expõem sua identificação com o Mestre das mais diferentes formas: um adesivo no vidro traseiro do automóvel com os dizeres: "Propriedade de Jesus"; uma camiseta com a frase "Jesus te ama" vestida sob o uniforme do time e exposta durante a comemoração do gol; um folheto evangelístico entregue ao passageiro vizinho durante a viagem de ônibus.

         "A propaganda é a alma do negócio", diria um observador. Nada contra essas manifestações. Elas, no entanto, precisam ser compreendidas como parte de uma identificação muito mais profunda com o exemplo do Mestre.

         De que serve o adesivo se sou um motorista imprudente e desrespeito as normas de trânsito? Para que a camiseta se sou desleal em relação aos atletas adversários? Por que o folheto se, com intolerância, ofendi e ridicularizei a crença de meu interlocutor, revelada por ele durante nosso diálogo?

         Ser discípula e discípulo de Cristo não é conquista pessoal, mas dádiva exclusiva de Deus.

Discípulos autênticos trazem a vida e o nome de Cristo para dentro de sua vida. (*)
Ouça "What love is this" com Kari Jobe
 

 

Bibliografia:

(*) Texto extraído do livro Martim Lutero, discípulo, testemunha, reformador: meditações de Ricardo Willy Rieth sobre textos de M Lutero - São Leopoldo: Sinodal, 2007.

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A DINÂMICA DA FÉ

Os sinais da frustração e da neurose.

CUIDADO A INVEJA DESTROI RELAÇÕES