O Profeta desconhecido


Por Leônidas Almeida




     Jesus saiu dali e foi para a sua cidade, acompanhado dos seus discípulos.  Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga, e muitos dos que o ouviam ficavam admirados. "De onde lhe vêm estas coisas? ", perguntavam eles. "Que sabedoria é esta que lhe foi dada? E estes milagres que ele faz?  Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não estão aqui conosco as suas irmãs? " E ficavam escandalizados por causa dele.
 Jesus lhes disse: "Só em sua própria terra, entre seus parentes e em sua própria casa, é que um profeta não tem honra  E não pôde fazer ali nenhum milagre, exceto impor as mãos sobre alguns doentes e curá-los. E ficou admirado com a incredulidade deles. Então Jesus passou a percorrer os povoados, ensinando. Mc 6.1-6 (NVI)



     Este texto contradiz boa parte daquilo que é dito acerca da formação intelectual e espiritual de Jesus. Teria Jesus passado anos de sua infância e adolescência entre pessoas instruídas, denominados de essênios, sob orientação de tutores e mestres de religião, filosofia e ciências? Caso a afirmativa seja correta seria este o motivo pelo qual Jesus foi tão especial? No entanto versão do evangelho de Marcos apresenta Jesus como uma pessoa simples que vivia em meio aos seus parentes e participava da vida cotidiana de sua comunidade como uma pessoa comum.

     Sobre este tema, o teólogo Paul Tillich, explica que a busca do Jesus histórico na tentativa de obter fatos confiáveis sobre o ser humano Jesus de Nazaré fracassou. A base dessas probabilidades, esboçaram-se algumas "Vidas de Jesus". Mas eram mais romances do que biografia e o cristianismo não se baseia na aceitação de um romance histórico, mas no testemunho sobre o caráter messiânico de Jesus dado por pessoas que não tinham o menor interesse em uma biografia detalhada do Messias.

     Deste modo a incredulidade do povo de Nazaré em grande parte foi pela origem simples e humilde de Jesus, nada parecido com as grandes celebridades, pois o viam apenas como um carpinteiro, filho de Maria e sua formação equivalente a todas crianças de sua comunidade, ou seja, não seriam as escolas rabínicas mais excelentes de onde proviam as elites do seu tempo que tenha dado a Jesus as condições intelectuais para sua formação, até porque o processo pedagógico nos dias de Jesus acontecia em grande parte no âmbito familiar e na comunidade.

     Assim como Jesus, profetas e homens de Deus podem sofrer preconceitos de sua própria família, de sua cidade, de pessoas e líderes de sua origem religiosa, tendo em vista que todos parecem buscar algo especial, acima de suas expectativas e a todo momento procuram novas experiências com pessoas espetaculares e quase sempre desconsideramos aquele que está próximo a nós. Parece que vivemos a moda do novo ser, da próxima atração, a fim de fazer sentido em nosso vazio existencial.

     Na busca pelos profetas, gurus e celebridades, viagens aos locais mais remotos da terra são empreendidas. Organizações e Igrejas promovem seminários, palestras, como se todos os participantes serão de alguma forma transformados da água para o vinho numa campanha, num acampamento, num congresso e por isso grandes encontros são agendados criando falsas expectativas e no decorrer da caminhada muitos acabam por se frustrarem.

     Muitos de nós não percebemos que o milagre pode ocorrer no cotidiano, na convivência solidária, no respeito pelo outro que está próximo a nós, assim os milagres ocorrem num contexto de solidariedade, amor e fé.

     Assim como ocorreu em Nazaré, muitos  enfermos não são curados e vidas não são restauradas pelo perdão dos pecados, pois a todo estante estamos aguardando alguém sobre-humano que possa realizar o impossível por nós e acabamos de fechar nossa fé pela pratica no cotidiano.

     Por trinta anos Jesus viveu e conviveu junto com seu povo andando pelas ruas, participando das celebrações, ajudando a muitos, porém não foi devidamente reconhecido quando anunciou a mensagem libertadora do evangelho. Egidio Gioia adverte que na religião a familiaridade gera o desprezo por causa da inveja. Quando desprezamos o outro no fundo dizemos para nós mesmos que estamos fracassados, isolados e condenados a estagnação. Assim perdemos o significado da necessidade do verdadeiro Shalom (Paz), sendo esta paz vivenciada quando percebemos o outro, o vizinho, aquele que está próximo à nos.

     Outro fato é entender que nossa formação intelectual e espiritual independe das informações exteriores que obtemos por meio do conhecimento, mas deve ter raízes em nossa experiência diária, desde a infância até a vida adulta. O resultado desta experiência é um desenvolvimento por meio graça de Deus, poder e sabedoria do Espírito.

     Note que a palavra de Jesus tinha autoridade em si mesma, não era apresentada de forma vaga ou teórica mas vinha de fato ao encontro das necessidades espirituais das pessoas que o ouviam.

      "Chegando à sua cidade, começou a ensinar o povo na sinagoga. Todos ficaram admirados e perguntavam: "De onde lhe vêm esta sabedoria e estes poderes miraculosos? Mt 13.54 (NVI)



     A minha oração é que devemos ter consciência que o nosso maior instrutor e mestre é Jesus, neste sentido somos abençoados e abençoadores dos outros que compartilham suas experiências, seja as mais simples ou as mais fantásticas. A partir da visão do Profeta é importante saber que ser rejeitado não significa estar derrotado, mas talvez é chegado o momento de tirar os olhos de Nazaré, ir para Samaria e quem sabe até os confins da terra. Assim como o poeta, o profeta sabe que sua missão é ir aonde o povo esta e não o contrário.

      Que tenhamos consciência que o milagre pode ocorrer pela oração de um carteiro, de alguém que faz a limpeza, de um policial que faz a ronda, um amigo de uma rede social,  daquele sacerdote que não grita, não fala alto, que não anda com o carro do ano, mas o coração arde de amor pela humanidade e possui uma vida Cheia do Espírito.

      "Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão. Mostrarei maravilhas em cima no céu e sinais em baixo, na terra, sangue, fogo e nuvens de fumaça." Atos 2.17-19

    

     Pense nisto!! Agora abra o olhos a sua volta.


Comentários

  1. a SIMPLICIDADE DE JESUS ESCANDALIZAVA talvez porque estamos mais acostumados a forma como as coisas são apresentadas ao invés do conteúdo. Somos seres produtos da mídia vigente, compramos as coisas mais pela embalagem bela, pela publicidade e pela pressão social da moda. Infelizmente temos olhos e coração obstruído para enxergarmos a simplicidade do grande poder espiritual que está ao nosso redor todo dia nas coisas simples e rotineiras.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seja bem-vindo e faça suas considerações.

Postagens mais visitadas deste blog

A DINÂMICA DA FÉ

CUIDADO A INVEJA DESTROI RELAÇÕES