A oportunidade de Deus e a ação humana

Por Joel Boa Sorte



       Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, perguntou-lhe: Queres ser curado? Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. (João 5.6,7.)

       Esse texto de João 5 é ótimo para quem está na fila esperando a oportunidade de ser chamado para receber o milagre de Deus. Esta passagem serve para despertar-nos para uma vida cristã de ação. Viver com Deus é uma questão de movimento!

             Alguns acham que oportunidade é sinônimo de equação resolvida. Preste atenção, pois não funciona sempre assim. Quando aparece aquela chance do dia ou do ano, a reação da nossa parte precisa ser imediata para que haja o encontro das duas forças: a de Deus e do homem. Deus faz tudo que é preciso fazer, mas Ele não faz o que o homem pode fazer. É aquela oferta de emprego que apareceu e não é um trabalho qualquer, mas precisa levantar muito cedo para a entrevista. Tenho certeza de que muitos dirão: Às sete da manhã lá? Isso não é para mim! Essa não é a oportunidade que eu esperava, é sim uma tortura.

       Volta e meia confundimos oportunidade com facilidade. Muitas vezes Deus nós dá a chance para disputar, competir, entrar em ação. Todavia, temos uma leve tendência de achar que, se Deus nos deu a oportunidade, tudo nos será entregue de bandeja sem que haja um esforço de nossa parte.

       Tenho visto que o Senhor nos concede oportunidade para lutarmos. Então, é nesse momento da batalha que precisamos fazer uso de nossa fé, travando uma gigantesca guerra contra a desesperança, contra as vozes interiores do pessimismo e contra tudo aquilo que contribui para o nosso fracasso.

       Veja um exemplo de oportunidade e ação simultânea: Uma grande multidão o seguia, apertando Jesus. Aconteceu que certa mulher, que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia e muito padecera à mão de vários médicos, tendo despendido tudo quanto possuía, sem, contudo, nada aproveitar, antes pelo contrário, indo a pior. Tendo ouvido a fama de Jesus, vindo por detrás dele, por entre a multidão, tocou-lhe as vestes. Porque, dizia: Se eu apenas lhe tocar, ficarei curada. E logo se lhe estancou a hemorragia, e sentiu no corpo estar curada do seu flagelo. (Marcos 5.24).

Aquela mulher não olhou para as circunstâncias adversas. Eram tantas, mas ela seguiu em frente. Se ela comentasse o seu intento com alguém sobre a tentativa de encontrar com Jesus de Nazaré poderia ouvir um não porque estava no seu fluxo normal de sangue e uma mulher menstruada de acordo com a Lei não poderia ter contato com outras pessoas, sem falar no agravante da hemorragia de 12 anos. É verdade, a mulher enferma poderia concordar com a situação e ter medo de ser alvejada de preconceito. Para evitar problemas fosse melhor escolher viver sofrendo até o dia da sua morte. Entretanto, ela foi sóbria e optou em não aceitar as posições contrárias que a ocasião lhe apresentava. Resolveu lutar ferrenhamente por seu alvo e conquistou o que parecia impossível. É por isso que eu digo: a última palavra não está resevada aos homens, mas a Deus. Os médicos da terra podem até dar um ultimato para você ou para uma pessoa que você ama, mas Jeová Rafah, o Deus que cura, pode mudar o rumo nefasto da situação e estabelecer um desfecho bem diferente para a história de nossas vidas.

       Para essa mulher, todas as chances pareciam caminhar na contramão. Seria quase impossível tocar em Jesus, não fossem sua determinação e sua fé. Oportunidade não significa facilidade.

       Mas voltando ao paralítico podemos ver no texto de João 5 que ele disse enquanto eu vou (...), isso mostra claramente que aquele homem não estava apenas sentado ou esperando que alguma coisa pudesse lhe acontecer. Seu foco e sua fé estavam em ser o primeiro a entrar no tanque, e isso fazia com que ele se movimentasse, que tivesse uma atitude. A fé daquele homem era viva. Ele estava na labuta, não desistia jamais.

       É comum no início de cada ano, pessoas bem intencionadas articularem uma lista enorme de coisas que querem realizar durante o ano que está começando. Só que quando chegam adiante, às vezes nas primeiras adversidades, lamentam e acham que não conseguem ir em frente porque o propósito é difícil demais. Estamos em abril e ainda dá tempo rever os itens que você projetou para esse ano! Eles estão vivos nas paredes do seu coração.

       Quantas pessoas têm condições de disputar uma oportunidade e não lutam jamais por seus objetivos. O homem no tanque de Betesda, que era impossibilitado por sua crise e que aguardava a cura por 38 anos, ainda tinha no seu coração a disposição de aventurar-se. Trinta e oito anos parece ser muito tempo, mas mesmo assim aquele homem estava lá confiante, lutando pelo milagre que poderia mudar o rumo de sua vida. Ele sonhava em andar livremente, correr, subir nas árvores, trabalhar, fazer mil coisas que as pessoas normais podem fazer.

       Talvez você pensa que está só na caminhada e que o seu problema não tem solução. Mas o que você está fazendo para que sua oração esteja bem clara aos ouvidos de Deus? Está lutando e insistindo como aquele homem de Betesda?

       Nesse viés de lutas e expectativas, Jesus passa por aquele tanque e vê várias pessoas lutando por um ideal. De modo maravilhoso os olhos do Mestre voltam-se para aquele homem que lutara, que insistira por quase quatro décadas. O grande dia chegou e ninguém pode impedir o desfecho glorioso daquela triste agonia. Queres ser curado? foi a única pergunta da parte de Jesus e tudo estava pronto para uma saída bem sucedida na vida daquele homem.

       Poderia Jesus ter completado: Nesses anos você lutou e buscou uma solução para tua causa e nunca desistiu do maior sonho de sua vida. Nunca esmoreceu quando alguém foi adiante de você na hora das águas agitadas e mesmo assim sabendo que a missão era difícil estava aqui cheio de fé e esperança, por isso, aqui estou EU para resolver o seu problema. Aleluia!

       Toda ação nossa no que tange a crermos no que diz a Palavra provoca uma reação do próprio Deus. Quando agimos demonstramos não só o que sentimos, mas também a nossa fé.

       A desistência no momento da crise nos impede de receber as bênçãos que Deus tem para nós. Não deu certo vá para uma segunda tentativa ou até mais, se é que isso seja tão importante para sua vida.

       Alguém pode falar: Não me casei com o homem/mulher que eu amo, por isso agora vou ficar solteiro/a para sempre. É mesmo?! A pessoa que você amava não quis você e está bem resolvida, bem casada com outra pessoa e você aí curtindo um ressentimento que não faz o menor sentido. Eu sei que esse não é o seu problema, mas faça um paralelo com aquilo que te incomoda e permita uma nova direção para os seus dias. Não destrua um projeto formidável e maravilhoso que o Criador escreveu para você. Uma busca absurda por algo que não é a vontade de Deus pode ser o motivo real das coisas demorarem tanto de acontecer em sua vida. Seja coerente e plausível com você mesmo, antes que venham os dias maus em que neles não tenham mais contentamento. 

       Vivemos em um mundo de facilidades, onde tudo tem de ser imediato. O café tem de ser rápido, o caixa eletrônico tem de ser rápido, as informações também têm que chegar rápidas. Já perceberam que diante de Deus queremos agir assim, queremos a bênção pra ontem senão não serve. Porém o tempo do SENHOR não opera assim. Ele espera que venha primeiro a maturidade para não estragarmos a bênção. Ele observa o nosso coração, as nossas atitudes.

       Não desista de fazer o que você sabe que deve fazer. A outra parte que não cabe a você, certamente Deus vai fazer. Não desista, Deus o fortalecerá. Ele capacitará você para que prossiga até o fim.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A DINÂMICA DA FÉ

Os sinais da frustração e da neurose.

CUIDADO A INVEJA DESTROI RELAÇÕES