Novo nascimento, uma experiência existencial ou espiritual?


Por Leônidas Almeida


Numa destas noites iluminadas, um líder fariseu estudioso da lei e dos escritos dos profetas, após uma longa reflexão dos sinais que estavam ocorrendo por meio de Jesus, chegou a seguinte conclusão: Vou visitar este homem, pois o que ele faz só pode ser alguém enviado por Deus, ninguém faz tais coisas se Deus não estiver com ele.

Você já teve algum tipo de iluminação espiritual? Algo já o deixou impressionado, pela falta de explicações racionais? O que você fez em decorrência disso? Ficou apenas elucubrando consigo mesmo ou foi averiguar. Você enviou algum e-mail para pessoa? Procurou se informar melhor sobre o que pode estar ocorrendo? Avaliou os sinais e o que eles podem indicar?

Quando algo fora do comum começa ocorrer ao nosso redor, temos que sair do comodismo e procurar nos informar melhor, sem muito oba oba, com sabedoria, sem  disse me disse, não podemos negligenciar, até para que não sejamos pego de surpresa quando algum imprevisto ocorrer. Nicodemos saiu para visitar Jesus à noite, evitou falar do assunto com seus amigos fariseus, talvez por temer a reação destes, pois Jesus era assunto proibido, porém Nicodemos desejava ter um melhor entendimento a respeito da pessoa de Jesus, do seu ensino e das suas obras.

Tem muitas pessoas que tem preguiça de serem investigativas, se conformam com as ideias plantadas por outros, pelos tais críticos, pelos iluminados de plantão, sem buscar uma opinião pessoal a respeito do que esta ocorrendo. Ao longo dos anos tenho procurado desenvolver uma santa desconfiança a respeito de determinadas circunstâncias, principalmente quando estas dão sinais desconexos com o fluxo normal na rotina de ocorrências. Deve ser por isso que o boato se espalha com tanta eficácia, várias notícias de jornais tomam, às vezes, contornos totalmente distorcidos a respeito das verdadeiras realidades dos fatos. Um dia destes ouvi um destes críticos da Bíblia, falando a respeito de determinado assunto, onde ele mesmo confessou nunca ter lido a Bíblia, apenas baseou sua argumentação em ideias obtidas por outros.

Têm pessoas que já leram diversos livros sobre a Bíblia, mas nunca de forma corajosa abriram as Escrituras para obterem uma posição pessoal sobre elas. Faça isso e verá por si mesmo que muitas ideias preconceituosas sobre as Escrituras são apenas mentiras plantadas por pessoas que não têm compromisso com a verdade do evangelho do Reino, porém a decisão é sua. Mas o pior mesmo são diversos “cristãos” que também desconhecem totalmente as verdades do Evangelho, por isso são presas fáceis para os fanáticos enganadores e animadores de auditórios, e outros simplesmente ignoram a importância da leitura diária das Escrituras, talvez por se acharem extremamente espirituais e não necessitam do alimento  diário, porém isto é assunto para outro texto.

 Jesus ao ouvir as declarações de Nicodemos, parece ignorá-las, pois sabe que Nicodemos certamente já teria um roteiro preparado para seus questionamentos. Talvez Nicodemos já tivesse previsto até mesmo as respostas de Jesus a respeito dos seus questionamentos. Nicodemos sabia que Jesus certamente lhe responderia que era um profeta enviado por Deus, e daí? O que esta verdade poderia trazer para a vida daquele homem privilegiado, pois naqueles tempos poucas pessoas tinham acesso à informação dada aquele homem, pois a ele cabia à guarda, estudo e interpretação das Escrituras.

Assim, Nicodemos deveria ser um profundo conhecedor das profecias, e dos oráculos de Deus. Talvez muitos de nós temos muitas informações a respeito de Jesus, fomos batizados em determinada religião cristã, já vimos filmes diversos a respeito de Cristo, já estudamos em escolas bíblicas, já tivemos acesso às Escrituras e aos milhares de livros que falam a respeito de JESUS, e daí ? Este é o ponto, para que todo este conhecimento se nada poderá ser relevante para nossa vida espiritual? Por isso Jesus redireciona a conversa com Nicodemos, quando afirma que ninguém poderia ver o Reino de Deus se não nascer de novo.

Este questionamento veio para Nicodemos como se fosse uma golpe mortal, um nocaute de ideias. Este atordoado pela afirmação de Jesus lhe questiona: Como um homem velho como ele poderia nascer de novo? Poderia ele voltar à barriga de sua mãe e nascer outra vez?

Jesus impressionado com a ignorância espiritual e teológica de Nicodemos, pelo simples fato deste analisar ao pé da letra aquela afirmação de Jesus sobre o significado do novo nascimento, pois estava conversando com um mestre da Lei, este não poderia fazer tamanha confusão a respeito deste assunto, pois esta matéria já deveria ser objeto de conhecimento por parte de Nicodemos, até por dever de ofício, pois se trata de um mestre da Lei.

O assunto levado a Nicodemos fora tratado exaustivamente no Antigo Testamento, as Escrituras apontam textos que ressaltam sobre a necessidade de possuir um novo coração, a transformação do coração de pedra em um coração de carne, ou seja, o espírito da lei não deveria estar somente gravado nas pedras ou nos pergaminhos onde a mesma fora escrita, mas dias viriam que esta Lei seria entendida na sua essência no coração e na consciência do povo de Deus, e assim daria o inicio para o surgimento do novo homem, o homem nascido do Espírito, não aquele nascido da carne, ou seja, descendente da mesma origem humana, o qual está separado de Deus, desde o nascimento, pelo pecado. (Ver Joel 2.28-32)

 Então Jesus reafirma a Nicodemos: Somente quem nasce do Espírito é um ser de natureza espiritual, ou seja, contrário à natureza humana que é pecaminosa. Assim, uma mudança radical do coração só é possível quando é proveniente do alto, pois o termo grego “de novo”(Anothen), significa “de cima”. Assim a vida espiritual não se transmite geneticamente por um processo natural humano, pois o que é nascido de carne é carne.

Jesus ressalta que a característica básica de quem nasce de novo é nascer da água e do Espírito, isto significa um processo de purificação que passa pelo arrependimento, com base no batismo do arrependimento anunciado por João Batista, que anunciava a chegada do Reino de Deus e do novo ser renascido para Deus.

Para melhor entendimento, a palavra vento citada no texto é equiparada a Espirito (ruach) no hebraico. Portanto, o Espírito torna-se manifesto naquele que é nascido de novo, mesmo de forma invisível passa a ser perceptível para aquele que é conduzido pela ruach após a experiência do novo nascimento.

Este novo ser, que embora ainda fragmentado pelas limitações humanas nesta existência, poderá vencer as ambiguidades da vida no tempo e no espaço, neste sentido a vida torna-se sublime em cada âmbito, quando direcionada pela inspiração dada pelo Espírito.

 Assim, a presença do Espírito no novo ser lhe mostra um novo caminho dentro de todas as direções a seguir como meta última. O renascido do Espírito terá conhecimento aonde deverá se direcionar bem como também não ir, isto não será mera religiosidade, pois tanto o caminho maléfico do ascetismo empobrecedor, bem como o libertinismo desintegrador, serão desviados por aquele que é nascido de novo.

O renascido não teme a caminhada, não permitindo que sua vida caia na pobreza da auto restrição, nem são tomados pela angústia da busca das diversas experiências ilusórias e frustrantes, que na corrida por diversas direções divergentes levam ao cansaço e ao desespero, pois se esgotam em si mesmas pela falta de sentido, que no somatório final, acabam de forma contraditória por não percorrer e não seguir qualquer uma delas em sua totalidade.

Neste sentido te pergunto: Quantos caminhos já percorreram? Em quantas mentiras já se frustrou? Quanto dinheiro já gastou? Quanta energia física e psíquica já consumiu? Ainda aguarda a próxima? Está cansado? Por isso te mostro um caminho sobremodo excelente, o caminho do Espírito, o caminho revelado pela fé em Cristo, e na manifestação do seu amor pelo ser humano lhe dando a opção por trilhar o caminho do Novo Nascimento.

Portanto, o nascido do Espírito é guiado para um porto seguro, para novas rotas e novas descobertas tanto de si mesmo, como na vida do outro, que se torna participante desta nova comunidade espiritual que é conduzida pelo vento do Espírito rumo ao Reino de Deus.

Veleiro, uma linda canção do saudoso Janires (Rebanhão), agora revisitada por uma nova geração.


Bibliografia:
TILLICH, Paul. Teologia Sistemática, Ed. Sinodal, Est, São Leopoldo, 2005.
Novo Testamento INTERLINEAR - Grego-Português. SBB, Barueri, SP, 2009.
DAVIDSON, F. O Novo Comentário da Bíblia. Vida Nova. São Paulo, 2007.

Texto de Referência NTLH (Jo 3.1-8)
Jesus ensina Nicodemos
Havia um fariseu chamado Nicodemos, que era líder dos judeus. Uma noite ele foi visitar Jesus e disse: —Rabi, nós sabemos que o senhor é um mestre que Deus enviou, pois ninguém pode fazer esses milagres se Deus não estiver com ele.
Jesus respondeu: —Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo.
 Nicodemos perguntou: —Como é que um homem velho pode nascer de novo? Será que ele pode voltar para a barriga da sua mãe e nascer outra vez? Jesus disse: —Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito."Quem nasce de pais humanos é um ser de natureza humana; quem nasce do Espírito é um ser de natureza espiritual." 
 Por isso não fique admirado porque eu disse que todos vocês precisam nascer de novo. O vento sopra onde quer, e ouve-se o barulho que ele faz, mas não se sabe de onde ele vem, nem para onde vai. A mesma coisa acontece com todos os que nascem do Espírito.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A DINÂMICA DA FÉ

Os sinais da frustração e da neurose.

CUIDADO A INVEJA DESTROI RELAÇÕES